Seguidores

2009/08/07

Constelações Equivocadas

"Constelações equivocadas"

Centenas e centelhas, cacos de vidro na mesa.
Baralhos na mente de quem amam, labirinto de quem espera!
Somando as partes, nem chegamos a um décimo dos sonhos...
Sonhando fomos centenas vezes mais do que conclamamos!

Aonde está a revolta dos canudos e dos candeeiros apagados?
Na força da onda a voz, não se deixa perder em tempestade.
A alma que gela repleta da dor do amor que lhe fez singela...
Amo amar, mas de vez em quando, quase sempre não se espera!

A noite se olha pro céu e contamos as estrelas e a pergunta que fica...
Onde o amor se perde entre tantas constelações de par!
Mas me contento por nada mais perguntar!
Senão ficar e em mim, comigo suportar!

Sozinho...


Czar D’alma – escritor e poeta.