Seguidores

2010/12/08

Das Cidades

"Das Cidades"



Fugir do horizonte
É querer te esquecer
Ao norte os homens se matam...
Do holocausto crianças se lembram!

Da terra meu corpo não tem saudade
Da serra eu olho o mundo pequeno
Do medo eu vivo sem um espelho
Então, de negro, fico vermelho...

Do horizonte são os sonhos
Das almas são as paixões
Dos homens as solidões
E das meretrizes as petições!

Tudo é circo e venda
Para que os homens vistam ouro
E deitam com suas vaidades...
Não sei o que quero mais das cidades!



Czar D’alma
Postar um comentário