Seguidores

2011/02/25

Pela Dama Minha

   "Pela  Dama  Minha"






Vou-me dar, pra ti!
Toma o seu teto, leva e siga e viva.
Que sua dança seja em alegria
A nostalgia desfere a ferida...


Vou pra ti em vôo e sem medo
Dou-me aos pouco, leitos e beijos
Quando os ventos te soprarem, abraço.
Mesmo em dias de chuvas, te protegerei.


És dama, musa, rainha e mãe!
Mulher minha de sonho e morte, darei a vida por ti!
Viajo em seus seios e anseios, todos meus, basta.
Que a vida seja boa e curtida, sem medo, sem trapaça.


Mas quando vejo tua roupa, minha cabeça sai...
Discorre o horizonte, quer viver, dar bem e sempre mais.
Dos momentos amor, criamos sementes que vingaram a flor!
Desmedida, pode me sangrar em segundos, mas dou a minha vida...


 Por resgate seu...

Eu caio e salto, venço monstros e seres abissais

Quero seu sorriso sempre em tua face, cru e em verdade

Nada de lhe deixar, sozinha nos domingos por futebol

Nada de correr atrás de quem não é meu sol!

Sou teu, toma-me a ti, vista-me e sangro-me por ti!

Quando a noite chegar, estarei pra lhe fazer delirar

Quando ao oriente olhar, não terá saudade do que há lá...

Sou eu, dispa-me... Das batalhas que travei por amor a ti!

Vou o infante em meio a guerras e não me deixo vencer

Quando não ficares alegres, estarás com a dor do prazer...

Ah eu sei, que não somos a felicidade alheia

Mas eu insisto em não ser a sua desgraça e centelha...

Do amor...

Do amor...

Dói, eu sei viver sem tal flor.

Sei-te era infeliz nas mãos dos que temem doar

Mas enfrento as marés e enchentes

Somente pra em mim, lhe abrigar

Defenderei seu prazer...

Mesmo que, sejas feliz

E não escolhas o meu apetecer...

Sou o amor, não faço dívidas

Apenas, quero-te sem as mesmas feridas

Então eu doei o amor,

O que nunca me deram




Em vida!




Czar D’alma – Escritor e poeta.

 
Postar um comentário