Seguidores

2011/04/06

Ecos Das Marés

      "Ecos  das  Marés"  






Quando o mar
Abraça o gemido fino
Da menina, solta da chuva fina...


Ecoa minha voz a te chamar...


Meu incenso em correntes românticas
Insurge em meio e pleno mar
De minhas lágrimas cortadas
Pelo punhal do amor.


Ecoa minha voz pelo mar...


Agora à noite, a neblina
Desperta o nosso amor
Pelo amor de tanto mar
À voz dos deuses enobrece teu olhar.


Ecoa em mim,
O desejo de lhe amar.
Sobre a sombra do madeiro
Quisera o dom me desdenhar...


Por vazar em mim o seu amor
Da solidão que, me faz ecoar!
Apenas por te amar
Junto ao mar.


Ecoa e voa...
Em mim o seu amor e mar!





Czar D’alma  –  Escritor e Poeta.

Postar um comentário