Seguidores

2011/05/08

As Vestes Dum Amor

       "As Vestes dum Amor"  



  



Olha, pra dentro de meu peito
O que jorra não é defeito
Apenas amei assim, sem fim


Olha a distância de nossos corpos
Não é maior que o perdão e dor
Que deixamos em beijos bons


Olha, quando eu me despir de dor
De tudo que fomos e que nunca passou...
Um brilho há de me vestir
Pelas vestes deste vil amor.


Olha, nossos passos são não pecados
Onde há inocência não entra lado errado
Sejamos mesmo distantes o que ficou
Uma bandeira hasteada pelo amor.


Olha... Suas lágrimas jamais serão lembradas
Pois tu nunca mais serás culpada
Pelo termo e tempo que em ti habitou
As sementes das flores sorriem quando morrem...


Mentiras são as mentes dos que não perdoam
Solenes é ver do ponto onde tudo e todos
Quem nunca errou?
Que atire a pedra e beije a dor

Os pratos limpos,

Os meninos indo e vindo,

Sua voz abraçando-me que lindo...

Eu sei quando depois que o sol passou

A lua vem nos tragando e filtrando...




Pelo brilho desse nosso amor!




Czar D’alma 



Postar um comentário