Seguidores

2011/07/15

Herança e Amor

            "Herança e Amor"      



            



Quando eu nasci em seus braços
Dos vislumbres da vida
Tu me foste o maior
E o maior medo


Aprendi a temer
Quando vi que podia lhe perder
Uma coisa é esta ao seu lado
Outra nem quero pensar ou saber.


Dos dias em seu quarto
Das luzes apagadas
Dos beijos meus
E das tuas doces ciladas...


Eu estava sempre com o prisma
De despertar meu mundo
Pra que a gente possa sempre
Querer morrer por isso aqui


Dois corpos suados
Duas miríades de pensamentos alados
Coisas de amantes
Quase peço pra nunca


Nascer em mim, outro namorado...


Pois eu era a felicidade
Quando me via em seus planos
Acordos nossos, distantes da virgindade
Meus devaneios quase profanos...


Ah dos seus lábios decoro a tua língua
Por cada geografia por ela em mim percorrida
Um monte de pensamentos meus e nossos
Que me invadem a memória e trazem de volta à vida


Um dia ainda dou à volta no mundo
E acordo tuas promessas rabiscadas
Em torno de minhas coxas
Impressas quase á barriga


Onde eu era a sorte
E tu a minha coisa
Mais linda e destemida


Uma herança nos corpos
Mas que me embriaga, fascina





E delira!






Czar D’alma 



Postar um comentário