Seguidores

2011/07/25

Virude em Lágrimas

            "Virtude em Lágrimas"   



          







Sei das virtudes das lágrimas
Quando elas nascem e caem
Onde brotam da alma
Tais dádivas


Elas não te esquecem
Elas te procuram
Sou a soma do teu medo
Junto ao que lhe dou mesura


Sei do teor de minha solidão
Das coisas inacabadas em minha mão
Quando o sol nasce turvo, minha alma grão
Então eu seco as minhas lágrimas e lanço vôo então


Sei do teor das lágrimas
Quando elas pedem pra você amar
E tu te imaginas às outras bocas mágicas
Nelas és tu quem implora pro amor ficar.


Hoje em canto só, sorrio com as mãos
Mas quando vejo você passar...
Minha alma se abre e diz...
Vem amar a mim e ao meu






Triste coração!







Czar D’alma



Postar um comentário