Seguidores

2011/08/28

Passos do Engano

           "Passos do Engano"   




                    




Meus erros pelos cantos
Cada dia tem sua alegria e pranto
Sou o eco de meu esperanto
Nem sei como te amo tanto...


Meus dias em cada mão
Meu silêncio em torno do vão
Abraçando o tempo que, em tempo
Embargo no peito a tal solidão


Se precisar de amigo me dê à mão
Mas se quiser todo meu amor
Prepare tua vida e abra os braços
Serei sua comida e o café de seu pão


Onde os homens erram o amor retorna
Esguia a lâmina fria do olhar
E estende a mão.


Como quem espera um milagre
Eu abro o meu peito
Jogo fora a ingratidão


Por que desde que te conheço
Sou o abandono e o torpor
Mas sempre o viés de minha
Sentença e ambição.


Onde as mulheres amam
E os homens se perdem
Quando mentindo
Dizem – 



o!






Czar D’alma 




Postar um comentário