Seguidores

2011/08/24

Rua Vazia

            "Rua Vazia"      




                




Guardo em mim o que passou
Doces, festas e um pouco de amor
Ando pelas ruas vou ao Arpoador
Mas não sou de nada disso que passou


Guardo em mim as tuas frases perfeitas
Seus beijos e da vida lindas receitas
Quando delirava em mim mesmo à mesa
Eu guardo tudo isso, minha quase sempre enxaqueca.


Guardo tudo que, passou
Pra ver se mudo o mundo que, seu mundo me tirou
Andando entre ruas e becos que a vida linda e mentirosa
Um dia a mim, pelos seus braços se apresentou


Eu sou a rua vazia
Eu sou o seu montante de rosas
Quando eu ainda era teu lírio
E uma bela fantasia...


Eu sou o vazio da rua
Que te espera na madrugada passar
Quero sempre o nosso silêncio
E um gole de prazer por te amar.


Das ruas e do que guardo em mim
Tirei tudo e dei para a lua
Que me olhando fazia promessas
Ou era a minha imaginação que assim fazia


Quando eu era alegre
E a minha rua,





Nada vazia.







Czar D’alma 




Postar um comentário