Seguidores

2011/10/03

Fim da Memória

            "Fim da Memória"  




                         




Aquele beijo que não lhe dei
Deixei marcado na agenda que rasguei
Fora com o tempo a vida a lida que, embriaguei
Mas nos meus passos sim, me cambaleei.


Eu ainda sou um rei
De reinado sem glórias
Não fiz ninguém refém
Apenas eu fui da minha própria história.


Tenho saudades do beijo que sonhei
Era linda a juventude que guardei
Nesse corpo velho de outrora


Ainda beijo sim, essa amada alma
Que me invade todas as noites
Acordando-me avassala a calma
Quem me dirá as pegadas da memória.


Eu já nem sou um rei
Fui apenas equilibrista da minha lei
Desmontando castelo que do medo me viciei
Um bobo da corte que me vejo em cada dia e hora.


Então é outro dia, com a mesma vida
Escorrego com a mente na piscina da lida
Com a vista turva, me turbo a disciplina
Vai se escoando de mim a vida sem pretória


Eu ainda canto com minhas cordas vocais
Onde nuns dias sou rei, cristo e palhaço
Mas de mim a vida já se foi e sequer deixou
Na minha agenda alguma moratória.


Esse é o fim de minha 





Memória.








Czar D’alma 





Postar um comentário