Seguidores

2011/12/01

Eles Não Voltam Mais

       "Eles não voltam mais"   




                        





Vem beber de minhas lágrimas
Quando a lança que me acompanha
Já não pertence a mais ninguém.


Com toda a força da esperança se fazem planos
E quando os homens caem em armadilhas
Fingimos que n’algum momento acordamos.


Eu quero essa esperança comigo
Quando a escuridão da vida vier
Pois senão seria feliz o homem
Sem o abraço de sua mulher.


Se as guerras fossem justas
Eu não deixaria de sangrar
Mas são em nossas batalhas que descobrimos
Quem é que, n’algum dia pode nos amar.


Então o presente é passado
O amanhã está em vigência
E os sonhos estão adormecidos
Onde os homens esperam estarem acordados.


Uma queixa na alma, um instante de paz
E a guerra e suas lutas
Nem representam nada mais.


Salvo aos que se foram...
E que não voltam 



Jamais.





Czar D’alma

 

Postar um comentário