Seguidores

2012/01/25

O Homem que Há em Mim

       "O homem que há em mim" 




                      




O homem que há em mim
Desponta e dispersa a solidão
Por que o amor não requer seu fim


 

O homem que me habita
Desola a própria sorte
Vai navegando à cordilheira
Não teme mais a morte.

 

Eu sei que o homem que aqui jaz
Não cumprimenta a desolação
Onde os homens esquecem-se do que a vida faz
Notando o vislumbre de cada manhã, cabe ser veraz.

 

Quando o homem acorda
Olha para o lado sente do coração a horda.
Coisa que a praia não seca e a sede não nota
Olhando cada coisa a vida sente-se livre na ponta da borda

 

O homem que há em mim não quer mais
Lutar contra o que é forte senão ser o próprio samurai
Onde as marés desabrocham lágrimas por que a vida se vai
Quando em quando o homem que há em mim se vence...

 

Nem se importa mais.



 





Czar D’alma –  (O homem que há em mim)



Postar um comentário