Seguidores

2012/12/17

"O Meu Livro, História e Enredo"

 
 "O Meu Livro, História e Enredo"  -     Czar D'alma 
 
 
 
"O Meu Livro, História e Enredo" - Czar D'alma 
 
 
O sal do mar me tempera os sonhos
O doce que meu imaginário adormece
É um jardim guardado por querubins
E por um gesto mágico, místico chamado, você.
 
Quando escuto seu nome são os meus nervos que emergem
Quando a rosa que pousa em meus olhos traz-me saudade
É de ti que, minha boca se enche de água e de luz a minha alma.
 
O sal tempera meus sonhos
Que meus sentidos servem-me à mesa do medo.
Há em mim lugares jamais habitados
Senão por você.
 
Eu te agradeço a alma e a carne
Eu te agradeço quando acordas ao meu lado,
Quando dormes cheia de medo, mas agarrada.
Ao meu braço, ao meu peito e ao meu reinado.
 
Se houver algum paraíso além de ti...
Seja eu a negá-lo se você não em mim, existir.
Quando o sal do mar banha meus segredos...
Enfim, lembro de que vivi da vida a magia.
 
Mas é justamente em você que vivo
O meu livro, história e enredo.
 
Czar D’alma

Meu silêncio

  "Meu   S i l ê n c i o" 
 
 
 
“Meu silêncio”  -  Czar D’alma
 
Fiz do silêncio o meu habitat
Dei a mim o poder de calar
Para que assim eu me justificasse
E parecesse mais humano que a dor.
 
O silêncio que me adorna tem seus discursos
Os mais doces que escuto são aqueles que a mim
Eu mesmo os digo...
Afora estes, outros que me arrazoam e declinam lágrimas,
São esses que justamente me mostram a necessidade de amar.
 
Eu ando comprando silêncio, vendendo a palavra, doando gestos...
Mas no fundo de todo meu silêncio, algo em mim, Já não quer calar.
Faço do meu silêncio um filme onde alguém possa me amar...
 
Seja homem, ou a mulher, espera o silêncio em cada alma
Pra ser feliz, não ter de gritar.
 
Hoje eu vou me calar, pois olhando pro lado
Já não tenho mais ninguém pra me escutar.
Senão o silêncio que me habita
E que me ensina para com Deus falar.
 
Czar D’alma – poeta.