Seguidores

2016/05/30

Trema - Czar D’alma.


Trema  -  Czar D’alma. 






Trema  -  Czar D’alma. 


Eu lhe comparo a uma canção
Eu deito junto ao seu som
Canto entre meus medos vãos
E a vida respira por mim...





Eu não sei o que lhe digo de mim
Eu amo seus princípios até o fim





Não quero amar pra sempre
Sem antes ser amado
Com as vestes da razão
Rasgando meus pecados.





Eu deliro em sua mais nobre versão
Não me encanto mais com a solidão
Tú me és a veracidade, a rosa e a verdade.
Eu a coisa a esperar a sua insanidade.





Não quero isso que você não vem
Eu quero seu vestido e você dentro também.
A ilha que atravessei pra chegar a te encontrar
Num barco de intrigas, feridas e paixões.





Não quero ser um verso
Se você não for poema
Um dia acordo feliz, sendo unguento






E você o trema.







Trema  -  Czar D’alma. 



Muito Obrigado à todos e todas que voltaram, assim como
todos que jamais deixaram de estar comigo e conosco, nesse vosso espaço!
Esse poema é dedicado à você(s), pela sua fidelidade
não só à mim, mas á todos nós... Amigos, de alma!

C a r p e      d i e m !

  
Czar D'alma.


Postar um comentário