Seguidores

2016/06/21

“Meio sem inspiração” - Czar D’alma

“Meio sem inspiração”  -  Czar D’alma 





“Meio sem inspiração”  -  Czar D’alma 



Eu abro os braços, eu rio, canto e agora
Eu vejo o mundo que se foi dentro e lá fora.
Meus momentos me abraçam
Minha roupa vai sem mim.




Eu grito a vida
Eu sambo com a maresia
Sinto o cheiro da poesia.




Os amigos estão distantes
O rumo que se toma ninguém espera
Pode ser que seja bom, pode ser que seja flor
Em tudo e todos eu sinto a presença do amor.




As crianças no parque os homens na contramão
A vida como areia pelos dedos e a poesia não
Ando tanto sem inspiração.




Sem peito pra sangrar
Sem aperto de sentidos ou de mão.
Ando meio sem inspiração.
Cada caso é seu caso, não quero mais explicação.




Meu velho diário quase sem palavras
Anda coando as coisas que não são
Meio dia e o dia inteiro
Com cadafalsos na dianteira Saudades na aflição




Ando quase sem ter tempo pra sangrar
Por que os versos são frios e a carne não
Meio fora é tudo perdido
A gente quer mesmo é ter ação




Por que os dias são de cinza
O peito em chamas
Clama por perdão

Quase sem ironia
A vida pede passagem




Meio sem viagem
Inteiro sem porção
Uns dias somos amantes
Outros somos irmãos




Quem sabe a gente acorda e inventa
Outra maneira de dizer paixão
Quando isso a gente se acostuma
Em falar que se ama...





Ou não.






“Meio sem inspiração”  -  Czar D’alma 


;
Postar um comentário