Seguidores

2011/01/21

Vil Amor Desbotado

 "Vil Amor Desbotado"




Num momento enquanto olhava
Ela era o Amor que me iluminava
À noite era um sonho...
De dia, eras plena espada!


Amamos-nos durantes anos
Que fizeram em si, migalhas
Caídos da santa ceia de nossas farpas
Quisera o amor e a confusão!


Hoje distantes procuramos
O ser que tantos muitos invejavam
Aquela alma dúbia em um só corpo
Lembrança de uma perene fábula.


Vi-te sentada, homem, café e xícara...
E seu riso sempre embotado
Num piscar o mundo se refez segundos
Vosso mundo triste e pálido.


Queríamos aquele vil amor
Muito lindo e sempre desbotado!
De quem não sonha acordado...




Czar D’alma
Postar um comentário