Seguidores

2019/03/27

Orgulho e preconceito - Czar D’alma.



Orgulho e preconceito  - Czar D’alma. 




Orgulho e preconceito  


 


Se beijar-te deixares
Meu mundo um oásis
De tantas flores que busquei
Das tuas curvas sempre esperei




Não cala a sede do corpo
Que ele grita o desgosto
Corre nas veias, pulsa nos gestos
E adormece nas flores.




Adormecido permaneço em ti
Uma forma de encontrar a paz
Que algum rapaz roubou de si




Em cada passo teu busco seu folegar
E disso me orgulho, basta me olhar.




Sendo o dia uma sentença
A noite sempre absolve os sonhos
Onde adormece a dor
Desperta a vida.




Me beija e te calas
Que a aurora não espera.
Sendo tu o ti que meu eu anela.




Desejo um dia de luz e paz
Onde seu sorriso me abrace
E nossos corpos se amem mais.




Que a solidão é perversa não sei
Sei que dela busquei do seu corpo a lei
Pela graça que nunca pedi e sempre sonhei




Quando o dilúvio de dor a ti chegares
Não perca tempo em si, me ligares
Estarei aonde sempre estive...
Nos braços de tua esperança




E na escola de quem te ama




E ali jaz.




Orgulho e preconceito  - Czar D’alma