Seguidores

(Pag. 3) Crônicas de Madison

            "Crônicas de Madison"   



   
 

Sabe... Hoje eu acordei querendo o amor. 

Sim, o amor com todas as configurações em que a alma pode dar fazer e recriar.

Digo isso por que o Amor transforma. Transforma vida, pensamentos ações e o melhor... Pessoas! 

  Na melhor das hipóteses devo afirmar que o amor, esta me transformando. 

  Sei que, há muito que mudar em mim, mas não quero falar disso em si. Quero falar do bom cheiro, 

do beijo apertado, do cafuné com carinho meloso e melado. Ah, se a vida me desse esse amor... 

 Eu seria melhor! Mas por que não ser melhor, uma vez que o pensamento do tal amor,  

já me alcançou?

 Sim, serei melhor, não apenas para a outra parte, para a “maçã” mordida, mas para mim mesmo, e 

isso é de forma maravilhosa e quase inacessível, quando se pensa. 

 Quando olho e penso nas mentes lindas, rostos suaves, vidas cheias de vida e cheias de cansaço 

que a vida, permite acontecer.  

  Quando penso em você que, visita-me e posso trocar palavras e pensamentos contigo? 

Isso me é maravilhoso! 

 Dizer Obrigado poderia soar de forma, meio cínica, mas é a melhor maneira que, vejo pra agradecer 

aos seus olhos que Me lêem! 

 Mas se você notou, ainda não disse do meu amor. Sim, eu aguardo este com todo o carinho que,   

minha alma denota, perscruta e diagnostica. 

 Adoro o olhar daquela alma doce e singela que, adorna meus sentidos... 

Que me fez e faz querer ser melhor homem, amigo, amante, pai, irmão e filho. 

Será que no adentrar dos anos, esta alma ainda saberá do quanto que, a aguardo, 

respeito e a quero servir? Talvez, mas senão fossem essas indagações, essas quimeras, essas 

incontinências da vida, a vida não seria vida e sim, morte! E vida é “doar-se” como quem joga flores 

ao mar... Jogando as minhas “flores” ao mar, vejo a beleza que, esse encontro faz: Mar e rosas. Um 

casamento místico e mítico. Um afrodisíaco pensar e enamorar-se da paixão pela alma alheia... 

  Hoje você eu, começamos uma forma de amor, a escrita e a lida, um que necessita do outro, 

um raro instante mágico e sublime que, passamos a nos entender e saciarmo-nos num sedento 

desejo de,“onde isso vai dar?” 

 Claro que, no meu caso, com o amor em vista, pra mim isso é mais que, doce e bom! 

Por isso me contento e te aguardo aqui, de novo, no nosso espaço da alma, chamado...


Amor!


Czar D'alma - Escritor & Poeta.


Carpe Diem!