Seguidores

2016/08/20

Pensamentos e regaço - Czar D’alma.



Pensamentos e regaço - Czar D’alma. 





Pensamentos e regaço - Czar D’alma. 





Saiba que penso em você
Quando fecho os olhos
Quando ando pelas ruas
E vejo sua distância me acolher




Não preciso todo amor
Preciso do seu, por favor
Me faça um sorriso, me passa
E cola na minha face, Sê meu amor.




Saiba que penso em ti
Quando respiro solto os pulmões
Quando abrasa-se o coração
Quando a vida é silêncio ou canção.




Me detesto sem seus passos
Me acolho de seu espaço
E fervo de mim, solto de mim
Poesia, café, choro e cansaço.




Eu que ando sempre dentro de mim
Só vejo aqui o que me parece você
Coisas que me dizes, gestos que te esqueces
E que recolho aos meus pensamentos e regaços.




Vem e me leva daqui
Me traga a vida em sua
E consuma
Aquilo que eu chamo de amor.




Um beijo teu por favor...
Um delírio entre os ateus
Um romance ao egídio europeu
Uma olimpíada de nobre ou plebeu




Não se vive sem ar, amor e dor
E eu que ando vivo sem você
Me costumei a ser ardor
Pra espera dessa tua flor.




Meu s amigos me perguntam
Por que eu erro nomes...
Pra quê tanto ato falho,
Seu rosto em meio aos meus favos




Um dia acordo e me vejo
Luz, relâmpago e trovejo
Chamando o  cinza de vilarejo
Onde eu acordo sempre e nunca 






lhe beijo!







Pensamentos e regaço - Czar D’alma



2016/08/18

Por que todos querem amor - Czar D’alma.



Por que todos querem amor. Czar D’alma. 




Por que todos querem amor  -   Czar D’alma. 





As pessoas esperam ser amadas
Não se preparam pra doar amor
Do homem que me emerjo
Nem sempre me orgulho




Que as pessoas querem amar,  todos sabem
Saber do que é feito o amor... Nada concerta.




Um lugar pra acordar, alguém com quem  jantar.
Sorrir e com alguém ao lado estar
De pequenos momentos somos compostos
E  ainda do amor em sinfonia,  não se faz afinar.




Por que os dias são azuis
Pra quem acordar e dorme só...
As mentiras são sempre verdes e coloridas tão
Eu sou parte do que me envergonho, um verso, um som.




Que as pessoas desejem amar
E que o amor seja o dogma da Eclesia.
Onde os meninos são ao lado dos pais
E os medos vivem longe das avós.




Que tudo mundo seja amor
E que Deus me dê água, sede e a flor.
Pra acordar entre as paredes
E ter com quem fazer amor.




Compondo sinfonias breves, vidas intensas
Acabo com meu discurso
Mas não se acaba a sentença.




Que o mundo precisa de amor
O menino de Liverpool falou...
Onde o tiro sai pela culatra
Mas jamais acerte quem amou.




Que todo mundo seja doce enquanto criança, eu sei
Só não sei o que nos tornamos, quando acordamos...
Um tino que não cessa um romance que não começa
A Ilíada de Homero, a flor e um Narciso feio à beça.




Que o mundo queira o amor e ame
Por que os homens precisam de paz
E as mulheres quem lhes acompanhe.




Minha palavra nessa geração que cessa
Minha voz que não ouço, senão às espessas.
Por cada vida que fica, foi e virá...
Façamos amor e deixemos o amor em flor...




Se tornar!





"Por que todos querem amor"



Czar D’alma


Por que todos querem amor - Czar D’alma.



Por que todos querem amor. Czar D’alma. 




Por que todos querem amor  -   Czar D’alma. 





As pessoas esperam ser amadas
Não se preparam pra doar amor
Do homem que me emerjo
Nem sempre me orgulho




Que as pessoas querem amar,  todos sabem
Saber do que é feito o amor... Nada concerta.




Um lugar pra acordar, alguém com quem  jantar.
Sorrir e com alguém ao lado estar
De pequenos momentos somos compostos
E  ainda do amor em sinfonia,  não se faz afinar.




Por que os dias são azuis
Pra quem acordar e dorme só...
As mentiras são sempre verdes e coloridas tão
Eu sou parte do que me envergonho, um verso, um som.




Que as pessoas desejem amar
E que o amor seja o dogma da Eclesia.
Onde os meninos são ao lado dos pais
E os medos vivem longe das avós.




Que tudo mundo seja amor
E que Deus me dê água, sede e a flor.
Pra acordar entre as paredes
E ter com quem fazer amor.




Compondo sinfonias breves, vidas intensas
Acabo com meu discurso
Mas não se acaba a sentença.




Que o mundo precisa de amor
O menino de Liverpool falou...
Onde o tiro sai pela culatra
Mas jamais acerte quem amou.




Que todo mundo seja doce enquanto criança, eu sei
Só não sei o que nos tornamos, quando acordamos...
Um tino que não cessa um romance que não começa
A Ilíada de Homero, a flor e um Narciso feio à beça.




Que o mundo queira o amor e ame
Por que os homens precisam de paz
E as mulheres quem lhes acompanhe.




Minha palavra nessa geração que cessa
Minha voz que não ouço, senão às espessas.
Por cada vida que fica, foi e virá...
Façamos amor e deixemos o amor em flor...




Se tornar!





"Por que todos querem amor"



Czar D’alma


2016/08/16

Porquês. (Czar D’alma).

Porquês.  (Czar D’alma)






Porquês.  (Czar D’alma). 


Por que abro cartas antigas
E fico noites sem dormir
Cobrindo meu tecido de sonhos
Onde o delírio é você




Por que ando em meio de mim
Procurando gestos antigos, beijos passados...




Por que não sei de mim
Senão dos seus braços ao redor...
Ao redor de cada lembrança
Dentro da amargura de não ser mais criança.




Os meus medos são de gesso e marfim
Onde tu os afastas de tudo e não de mim
Por que as cartas são abertas
Pela porta da solidão, poeira e arestas.




Andam dizendo que as cartas são algo do passado
Mas esse amor que arde jamais passa...
Andam dizendo que o tempo cura
Mas não se afirma o quanto nele se adoece.




Minha boca tem sede de teu beijo
E o meu corpo já não entende o desejo...
Por que eu sou o céu aberto
Na janela fechada do lampejo.




Me traz, de ti os seus braços
Me arrasa, com teus dedos
Por que meu corpo te anseia
Sendo uma menina sonho em ser tua Sereia.




Não sei mais dos meus porquês
Canto em mandarim não mais em português.
Se entro na olimpíada da vida...
Do amor sou sempre 




freguês!




Porquês.  (Czar D’alma).