Seguidores

2020/05/08

Ninho e porto – Czar D’alma.



Ninho e porto – Czar D’alma.




Ninho e porto 




Eu ando a procura da palavra certa
Que não erre sequer meu coração
Que encontro ninho e um porto
Para a minha alma e canção.




Eu vejo o teu sorriso tão distante
E me sinto longe até de mim.




Eu procuro o toque certo pra ti
Onde estejas tenra em meus braços
E ninguém mais precise fugir.
Ah, eu preciso aprender a sorrir...




Os anos passaram tão rápido que não vimos
Que os ventos vieram e levaram destinos
Somos quase tudo, quase amor, quase delírio.




Onde os olhos tem rugas e mãos cansadas
Não deixam de ter história e saudade
Do que ainda não vêm ou do que
Se foi pela vida por qualquer estrada.




Os amigos não visitam mais
Existem vírus e medo em todos os canais
Mas ainda bate no peito a esperança
De ainda sermos mortais.




Então, eu vejo aquela foto antiga
Em cima dos sonhos, entre as mobílias.
E ainda te amo como nos primeiros dias...




Quando os dias eram verões
E versões de nós mesmos
Que se foram e que jamais 




voltarão.




Ninho e Porto – Czar D’alma.

.,.

2020/04/28

Quase comédia, sempre divina - Czar D’alma.



Quase comédia, sempre divina - Czar D’alma.




Quase comédia, sempre divina 




Não é lepra é apenas uma opinião diferente... 
Um pensar, um existir e ser.
A ser respeitado pelo humano ali e por ser, 
uma maneira também divina de se permitir.




Não, não é lepra... 
É um jeito de querer, uma cor a pertencer, 
uma tribo a existir e um gênero a conceber.




Não é uma alma a doer, senão pelo jeito que lhe tratam, 
pela força da palavra dos que matam. 




Dos meios radicais de não perceber do outro 
o que o outro deseja e ousa querer.




Vai além de mim, não preciso mentir. 
Não precisa de autorização de ninguém, sabem bem. 




Eles são parte de nós e de ninguém. 
É amar e ser amado por alguém.




Não é outra nação que ameaça, mas o preconceito que traça.




São uns pequenos que vão, 
entre os que pensam ser grandes e nunca serão pelo medo rasgado pela veia da própria razão,
 real ameaça!




E se fosse lepra, seria acolhida também, 
por que não há vida que não mereça amor 
e amor que não queira viver e bem.




Não há cor que seja melhor, 
nem pelo ou judeu que seja pior.
Somos tão iguais como 
o desejo de igualdade ter.




Não há homem ou mulher, 
cita, grego ou judeu, pobre, rico, livre ou escravo que, 
não deseja o amor que, adormecido pelo ódio de uns,
 não permitem o lugar-comum ser de todos...




Onde o paraíso é pertencer, acolher e respeitar 
por que se não amo o visível o impossível dos sentidos 
seria amar.




Então, é pandemia... 
Ou medo da isonomia, abraço ou excesso de ironia 
Essa falta de magia ou fé que...




No outro o divino também há de nascer e jamais senão por mim, este morreria.




A comédia é divina, mas a lenda é maligna 
na esfera de quem de bem se veste...
Mas não veste o outro que, o divino 
e infinito num toque de amor infindo o conceberia.




Sem roupas pra usar, sem razões a defender, 
senão o direito de tudo o outro em si, 






Ser!






"Quase comédia, sempre divina." ( Czar D’alma ).


.

2020/03/28

Poemas D'alma - Czar D'alma: Caminhos – Czar D’alma.

Poemas D'alma - Czar D'alma: Caminhos – Czar D’alma.: Caminhos – Czar D’alma.  C a m i n h o s Cada um procura sua loucura Os pardais não falam Pois seus cantos ...

Poesia sempre é um assunto pra se degustar! Parece ter haver mais

com culinária do que, simplesmente literatura... Mas enfim, estamos

disponibilizando poesias pra quem gosta de degustar e pra quem

gosta de ler! Espero que possamos ter, bons cardápios pra ambos

os "tipos" e "gostos"!


Obrigado & Carpe Diem! Sem mais,


Czar D'alma. ( escritor e poeta )

Carpe Diem & Soli Deo Gloria!

2020/03/20

Caminhos – Czar D’alma.



Caminhos – Czar D’alma. 




C a m i n h o s




Cada um procura sua loucura
Os pardais não falam
Pois seus cantos lhe bastam




Há uma ironia na esquina
E nenhuma estrada da vida
Permanece sempre reta.




Eu sou eu fui eu passo...
Coisa engraçada são as calçadas
Que sempre buscam os sapatos.




Cada um em seu manicômio
Uns são astros, outros risonhos.
Pra mim me resta o coração
Que sonha em perder o compasso.




Logo o tempo e o vento se unem
O homem, a formiga e cada pássaro.
Procura de si a liberdade que voa
Da vida em meio aos seus 




próprios braços.



CaminhosCzar D’alma. 

2020/03/08

Almanaque – Czar D’alma.



Almanaque – Czar D’alma






Almanaque  


Desenhei você no meu almanaque 

Distribui felicidade como conhaque 

Ainda não sei o que fazer de mim. 




Arrasto os dias. Debruço em noites 

Por lhe ver fugir tentar descobrir... 

Que sou tudo no meu mundo 

Num mundo onde não cabe o ti. 




Já busquei minhas fotografias 

Na ilusão de rasgar com as mãos 

Tudo que fiz comigo 

Degustando as minhas fantasias. 




Não há dor que não passa 

Não há frio que seca 

Na esperança num gesto 

Piedoso onde tu me abraça. 




Logo, percebo que é o fim. 

Porque ter ainda pena de mim! 

Se eu sou sempre comigo a poesia 

Que jamais espera a




    canção.



Almanaque – Czar D’alma.

2020/03/01

Futuro do pretérito (Peter Pan) - Czar D'alma


Futuro do pretérito (Peter Pan) - Czar D'alma




Futuro do pretérito (Peter Pan) - 

Longe do horizonte
Escrevo pra você.
Tudo vê nada crê.
Aquele que ama apenas o que pode ter.




Singelamente lança para o futuro,
O equilíbrio que perde
Porque ama tateando no escuro




O universo não espera para alguém descer
Tão pouco desafia a vida o que se fecha.
Mas lança a flecha da esperança
Age doce e percebe como criança.




Eles esperavam que não déssemos as mãos.
Eles esperam que pereçamos via solidão.
A cada pátria que dividem se aborta ambição.
Em cada passo ao compasso da vida o homem - são.




Logo as folhas caem da nação
Logo os vídeos não julgam mais...
Versos se vendem se negociam vidas
Eu ainda amo sua e minha pátria vendida.




Eu não aguento mais comer ferida
Jantamos nossos sonhos
Liberdade é um pecado Chamado ponto de vista
Sem perder o próprio chão.




Então a gente dorme e finge que ri...
Porque quem tem mais que Peter Pan?
Que toma dos pobres e dá...
A outra pátria chamada 




irmã.


Futuro do Pretérito Peter Pan -  Czar D’alma.