Seguidores

2013/01/11

“Na esperança de me despedir”

“Na esperança de me despedir”  -   Czar D'alma   
 
 
 
 
 
 
 
“Na esperança de me despedir”  -  Czar D’alma.
 
 
 
Abra a porta pra eu passar
Tal na hora de sair.
Deixamos coisas importantes nos sonhos
E sonhamos com pessoas que com ninguém se importam,
 
Abra a porta pra eu sair
Está tão frio aqui...
Dentro e fora esta nevando
Dentro de mim.
 
Abra a porta pra eu sorrir
Não perceber que não me percebem assim...
Dor de parto, parto de alma, solidão que queima e abrasa.
E quem há de escolher estar aqui, quando o frio nos comprimir.
 
Abra a porta, por favor, pra mim...
Pela janela a minha alma já soltou.
Quem de mim espera um abraço
Vê-me gemendo em lágrimas...
 
Na esperança de me despedir.
 
 
 
 "Na esperança de me despedir"  -  Czar D’alma

“Senão adeus”

“Senão adeus”   -   Czar D'alma    
 
 
 
 
 
 
“Senão adeus”  -  Czar D’alma
 
Eu fiz uns versos pra poder sonhar
Onde o riso comigo seja meu bajular
Eu fiz uns versos pra cantar
A solidão que não me deixa tranquilo
 
Seja aquilo, aquele ou nós mesmos consigo...
Uma milha de quilômetros pra medir o sentido
Por que, crianças se vão amores falsos nascem.
E a vida nunca desiste de abrir os olhos no domingo.
 
Eu sinto falta do cheiro da flor
Eu quero da vida a volta do sabor
Eu quero sorrir quando não mais, amor.
Deixa-me acordar feliz um minuto sequer, por favor.
 
Por que a alegria estava às portas,
A felicidade pelo caminho...
Quando abri os pulmões e percebi
Que já não mais estou vivo.
 
Senão, pela ausência de amor, paixão, abraço e amigos.
Senão Adeus.
 
 
"Senão adeus"  -  Czar D'alma

2013/01/10

Palavras e Ser

"Palavras  e  Ser"    -     Czar D'alma
 
 
 
 
 
 
“Palavras e ser” – Czar D’alma.
 
 
 
Sem versos a vida torna fria
Cada resposta, cada beijo...
Sem verbo me sinto uma ilha
Onde mergulho em mim.
 
Dos dias sem palavras
Dos tempos sem abraços
De cada sorriso desperdiçado
Assim é o mundo sem palavra...
 
Vem ao meu lado, escuta.
Tenho coisas lindas a dizer
Alguns não notam, mas quem escuta,
N’algum dia irá me agradecer.
 
Sem verso a vida é vazia
Sem amor o mundo é mudo
Sem você o tempo passa
Mas nada disso degusto.
 
Sem palavras, sem versos, sem voz...
A vida é uma canção sem compasso.
E sem a nossa história
Não sei o que digo, sinto ou faço.
 
 “Palavras e ser”  -  Czar D’alma

“Liberdade Sim”

“Liberdade Sim”   -    Czar D'alma
 

 
 
 
 
“Liberdade Sim” – Czar D’alma.



 
Sinta-se livre sim,
Eu sei que o Messias sangrou até o fim.
Deslizando verdades pelas mentes
Ele nos disse que, viria pagar e tomar pra si.
 
A nossa dor,
A nossa vida de conquistas tomou e
Devolveu por puro amor.
Seja a Ele o nosso louvor.
 
Sinta-se livre sim, Ele te conquistou,
Seja aqui, seja agora a pessoa certa
A tomar parte do perdão e graça
Que por seu sangue ele nos doou.
 
Sinta-se livre sim, por puro amor
Por cada enfrentar de cada fariseu
Por encarar o inferno pra seu apogeu
Ele é Jesus o nosso salvador e Senhor.
 
Sinta-se livre por amor...
Quem lhe faria algo assim.
Se jamais nos deram atenção real ou valor,
E se deram não podiam nos dar da vida o amor. Ele nos amou.
 
 
 
 "Liberdade Sim"  -  Czar D’alma

2013/01/09

"Deixa-me ser feliz..."

“Deixa-me ser feliz...”   -    Czar
 
 
 
 
 
 
 
“Deixa-me ser feliz...” – Czar D’alma.
 
Sim, me deixa em minhas águas nos olhos.
Pra que a vida seja assim, como for...
Pelos colírios que a verdade me deu
E das mentiras que despis de ti.
 
Sim, ficarei sozinho aqui,
Onde meu silêncio grita comigo
E jamais impeço a felicidade de quem
Espera a justiça e um sorrir.
 
Sim, deixe-me dormir.
Pra não ter que lhe ver assim...
Comendo sorrisos alheios, colhendo futuros de outros imperfeitos.
 
Deita-me em mim o calar e me deixa ficar aqui
Quando os pássaros me visitam e a dor
Não insiste em entrar, roubar ou fingir.
 
Eu sou um canto que esqueci.
Eu sou o sorriso que alguém já quis.
Onde as almas se abraçam e os fantasmas
Jamais ousam em conquistar o que é feliz.
 
"Deixa-me ser feliz..."  -  Czar D’alma 

2013/01/08

“Encare a felicidade por nós”

“Encare a felicidade por nós”
 
 
 
 
“Encare a felicidade por nós”
 
Me conta uma coisa boa, estória e releia a folha
Me conte alguns contos, dirija meus delírios
Eu perco o sentido, quando e por que, vivo sozinho.
Por que sei que és o meu desatino.
 
Sempre canto uma canção, adorando Deus...
Com sua boca eu poderia muito mais a declarar.
Enquanto me negas do seu batom e boca à provar.
Somos da mesma fé e por que, não cooperar.
 
Sentimentos, pessoas, amores que se vão...
E a vida é quem nos pergunta
Quando decidem tanto defesa
Onde só resta a própria armadilha.
 
Sabemos dos rumos da felicidade
Do quanto ela pode ser melhor
Quando segurando a sua mão
Meu sacerdócio de lhe prover, cuidar e amar.
 
Sei de muita gente só, e outras que, sem querer decidiram.
Que a vida pra eles será assim – uma metade desejo e sonho...
E a outra, o medo de tentar, se entregar e jamais da felicidade fugir.
Assim caminham muitos que, não escolhem por não saber ser assim, assim, assim.
 
 
 
"Encare a felicidade por nós"  -   Czar D’alma
 

2013/01/06

“Grande amor amigo” - Czar D’alma - (Para uma amiga especial)

“Grande amor amigo”  -  Czar D’alma (Para uma amiga especial)
 
 
 
 
 
“Grande amor amigo”  -  Czar D’alma (Para uma amiga especial)
 
Agradeço o seu grande amor
Agradeço cada momento nosso
Cada dia de mãos dadas, sorriso pronto, cara-lavada.
 
Agradeço esse carinho imenso, Seu doce meigo pretenso,
Minha maneira de sorrir.
Brindar seu instinto meche com coisas minhas, delírio com vestígios.
 
Eu agradeço aquele abraço doce e forte,
Com lágrimas a nos brindar.
Quando a solidão estava forte foi seu jeito
Que em si me ensinava a continuar.
 
Vem, essa manhã, comigo acordar.
Por que o sorriso e a felicidade amanhecem contigo.
Onde eu brindo coisas que só Deus faz...
Quando sei que essa menina está feliz delirando sentidos.
 
Vem me dá essa coisa doce em ti,
Onde eu ando suando frio, comendo amiúde...
Onde só os grandes amores são, grandes amigos.
 Essa delícia de vida se faz, quando estou contigo.
 
 
 
“Grande amor amigo” - Czar D’alma
 
 
 
 
P.s.:  Obrg pela força, "N.S"
 
 

F l o r e s R a s g a d a s

"Flores rasgadas"  -   Czar D'alma.
 
 
 
“Flores rasgadas” – Czar D’alma.
 
Eu rasguei flores no caminho
Desdenhei o meu rebento a procura de abrigo.
Eu sinto desejo de ser feliz e sorrir
Ainda mais quando do meu corpo o teu cheiro sinto.
 
Se rasguei flores sem sentido,
Malhando as incertezas do que digo...
Por ter certeza que era pra te acolher
Na cidade e paz onde eu choro, amo, habito e reside.
 
Se de tantas flores há alguma esperança
Onde a vida ao seu lado faça sentido...
Eu abro os braços das lembranças
Onde a vida contigo é tudo que preciso.
 
Eu no meu jardim recompus flores...
Mas não recomponho o caos dentro de mim,
Onde só meu Deus sabe como vivo.
 
Com flores rasgadas, mas, mandando beijos...
Pra vidas que não me conhecem, porém de mim julgam.
Aquilo do nosso jardim ser um Éden pra tua paz e meu juízo.
 
Czar D’alma – “Flores rasgadas”