Seguidores

2016/10/20

Quase escolhas – Czar D’alma.


Quase escolhas – Czar D’alma






Quase escolhas – Czar D’alma. 



Não sei o que tinha na cabeça
Quando escolhi te amar.
Perdendo as rédeas da sanidade
Sonhando em querer navegar.




O mundo gira sempre ao seu redor
Quando escolhes a insanidade
Um mundo nem é sempre melhor
Quando adormeces sem dizer, boa noite.




A foice da vida não meça ironia
Eu que ando sempre comigo
Não me vejo sem o seu sorriso




Um dia ainda abro os braços
E com olhos fechados sorrio...




Por cada momento que a vida nos deu
Uns naqueles que se eternizaram
E daqueles que estão nos braços de Orfeu.




Eu tenho medo da risada feliz
Quando percebo a noite chegar
E o mundo é sempre por um triz
Quando o amor não está.




Na primavera colhemos flores
Nos verões despercebemos as dores
Outonos são cheios de cólicas e azias...
E os invernos com almas de frio e nostalgia.




Que seu sorriso venha
Que amanhã seja melhor
Por que nós vamos por cada dia
Esperando do mundo sua empatia.




Onde eu adormeço, adormecem os sonhos
E quando acordo só, os dias são frios...
Por que os amores são mais lindos
Quando estamos todos no mesmo tino.




E eu vou comigo
Abraçando os dias, meus rios...
Esperando que acordes
E me dê seus desatinos.




Eu sou a solidão que me veste
Mas não sou sempre a palavra que tece
Gemidos são invólucros de tempos
Mas não determinam o 





destemido destino.







Quase escolhas – Czar D’alma

.




Postar um comentário