Seguidores

2011/11/16

Quando Não

            "Quando Não"   





                       





Quando as coisas não
Tu em mim sempre um sim
Meu dilema posto em tuas mãos
E a vida sendo o início de outro fim.


Quase sempre quero sorrir
Outro dia pede coisas pra ouvir
Seu minuto pra me alegrar
Coisas que amei deram-se assim.


Com cada gota de esperança
Hei de esculpir o futuro que há de vir
Um beijo seu pra minha alma voar
Antes que amanheçamos e vimos...



O próprio fim.







Czar D’alma



 
Postar um comentário