Seguidores

2013/05/06

“Não guardei rancor” – Czar D’alma.


“Não guardei rancor” – Czar D’alma





“Não guardei rancor” – Czar D’alma.


Eu não guardei rancor
Eu não deixei-lhe expor.
Eu sou, mas nem sempre serei
Obrigado por deixar o sol se pôr.




Eu não guardei tristeza
Deixei caída em baixo da mesa.
Vou trancar comigo a beleza
De quem ja amou com certeza.

Eu não plantei a dor
Se não foi o que eu pensei
Foi no sonho errado que entrei.




Eu não guardei mentiras
Deixei pra o tamanho da esquizofrenia
Eu lhe sinto desconfortável, arredia
Tu foges de quem lhe amou um dia.

Eu não guardei rancor
Só pude lhe ser o amor
Era tudo que aprendi...
Me perdoa por você não ser assim.




Eu só guardei as flores
Eu deixei brotar a minha certeza
Fui ferido com tudo que é o teu medo
Hoje tua verdade só é um tenaz segredo.

Não me culpes mais do que a mim
Eu por amor, farei sim por ti.
Eu só guardei o amor, o que aprendi
Se era tão pouco pra quê mentir.




Nem precisava ter escorrido
De tuas mãos a dignidade e a razão
Eu lhe deixaria em plena paz
Se a verdade lhe fosse capaz.

Eu não guardei rancor
Mas, deito cá o que restou...
Caixas de surpresas e incertezas
De quem viveu e quem comigo estava à mesa.




Eu não guardei rancor
Vou com as ondas do jeito que for.
Por que lá vem o amanhecer...




E amar é tudo que sei ser.




“Não guardei rancor” – Czar D’alma.


Postar um comentário