Seguidores

2011/09/04

Mar de Saudades

            "Mar de Saudades"      




                    




Tenho saudades, quando olho o mar
Das coisas que, dissemos
Foram as que, jamais escutei
Que sempre hei de guardar.


Dos dias frios, o seu corpo
E dos verões o beijo além do rosto
E quando a chuva caía...
A solidão tinha seu próprio desgosto.


É quando contemplo o mar
É que me dá saudades de sonhar
Minutos eternos, horas em ventos...
Aquele beijo e a sentença marcada no peito.


Eu nem sei o que dizer frente ao mar
Senão olhar, lembrar e chorar
Em tempos de felicidade eu era o mar
E tu o sol a cobrir-me de prazer sabendo amar


O meu corpo tem saudades do seu
Olhando o mar eu contemplo o que já morreu
Sei de tudo isso, mas não sei como aconteceu
De virar-te à esquina, sair em silêncio e esquecer...


O amor que a mim um dia,
Prometeu.


Eu sinto é saudades ao mar
Do mar que era o nosso amor
E das coisas que somente em mim
Um dia realmente aconteceu.


Então contemplo a vida e lanço um beijo
Pra aquele momento que eu, você e a felicidade
Andou em meio às areias da vida em gracejos
Que o tempo não sei como, levou o que o amor nos deu


Quando eu abrigava em mim
O mar que só em meu peito
Um dia o amor 




Acolheu...







Czar D’alma





Postar um comentário