Seguidores

2019/06/02

Meu mundo ( O sonhador) – Czar D’alma.


Meu mundo (O sonhador)




Meu mundo  ( O sonhador) – Czar D’alma. 




Vendemos flores no inverno
Pra que a alma se cale no que arde
No doce desejo longe e disperso.




Vem com a dor de ser feliz o abandono
Do amor transvestido de alvo tenro.




Mas recobro o sonho, Quando arde dentro
Aquilo que antes era meigo e certo.




Entre milhares de rostos
É com o teu que me vislumbro
Onde a vida em teus braços
É todo meu desejo e mundo.




Mesmo assim as lembranças me invadem
A alma cala onde sempre é a ferida que lhe arde.




Desejo o humano que não dispersa a humanidade
Onde meu Judas não me beija...
Nem meu Pedro nega o meu afeto.




Eu sou o meu verso
Que se perde entre o próprio verbo.
Apenas sei que o amor é de todo homem o direito
 Mas existem o que preferem o jeito mais perverso.




Eu que abrigava o feto abortado aos sonhos vivos
Na utopia que as mãos sejam abertas e meigo o verso




Que nosso dia renasça na esperança das crianças...
Sem medo do olhar cruel dos que pervertem o dileto.




Ainda sou uma frase perdida
Na busca de mãos




 francas e amigas



Meu mundo  ( O sonhador) – Czar D’alma. 


,

Nenhum comentário: