Seguidores

2011/02/27

Minhas Pisadas

   "Minhas  Pisadas









Pelas pisadas nas areias que deixei
Os dias, os ventos que abracei...
Não sei do que ficou daquele amor!
Os momentos vãos em quase nada.


As pisadas minhas na areia
O sol e tudo ao meu redor, perplexo
Do mundo que me deslancha sonhos
De tudo que, me deixa de vida, repleto...


Aquelas pisadas minhas, em meios as solidões
Os meus banzos, minha cara lavada aos meus refrões!
Quem me dá um dia, me cobra por todo sertão.
Somente nos seus olhos eu via, primavera e verão...


As pisadas de meus erros na vida.
Aquela coisa linda na boca, você teria ainda?
Meu mundo dentro de um baú, dores e amores
Que levaram, lavaram minhas nobres intenções...


Eu sei você ainda, poderá mudar
Mas nesse deserto agente não espera nada
Cada poeira é um sonho que, se espalha
Por noites frias que, me fazem chorar na alvorada.


Será que minhas lágrimas
Farão disso um oásis pra minha amada
Ou serei um rei, sem castelo, sem nada...
Longe de ti, não vejo alegrias por perto.


Ah essas pisadas irão me levar da vida em vida
Parece loucura, mas sem você não há festa
Nem tampouco carnaval na avenida...
O deserto que passo, tenho que beber da própria ferida.


Meus passos na areia apontam uma direção
Eles me levam aos dias que nada são...
Lembranças cortadas ao fio da navalha
Pelos beijos nunca da invisível namorada...


Ah eu quero um beijo molhado de minha amada.
Para matar a sede minha, pra lavar de mim a mágoa...
Ah o deserto tem seu discurso certo nas noites frias
Sem você a vida, esta sempre cheia de dor e vazia...


Meus passos no deserto me enganaram estou disso certo
Que amanhã eu pego a estrada seco as lágrimas e até sorrio
Pra minha história ser lírico erro e morrer de cantar...
Pros meus passos no deserto nunca errarem ao me levar


Esperando da vida, uma carta, beijo, abraço de quem
Nunca me ama, pelas pisadas mais secas e firmes
Que me fazem morrer ao deserto
Querendo um amor e não mais cilada.


Meus desertos me levam ao vento e dores...
Mas a vida nunca deixa a mentira ser eterna
Apenas um gole seco
De quem não tem consigo, nada!



Nada!




Czar D’alma
Postar um comentário