Seguidores

2016/07/30

AUSÊNCIAS - Czar D'alma.

AUSÊNCIAS   -   Czar D'alma.



 Ausências 


Muito obrigado por seus olho nus...
Por que se não fossem as dores as quais estou mergulhado
Iria até você e lhe diria, o quanto te amo




Muito Obrigado pelo seu silêncio
Que me dobra aqui mal quebrado
Se não fosse a distância dos seus medos
Eu me banharia no oceano dos seus braços




Por que das muitas cores que pintei a vida
À sua semelhança eu pintei a felicidade
Uns dias em meio ao temporal cinza
Me cubro de cada frase tua




Pra poder acordar com olhos pela tristeza embaçados
Muito Obrigado por ter ido embora
Quando eu pertencia aos seus cuidados
Muito embora eu esteja só
Só em teus desejos, o meu era alcançado




Fiz prisão de suas ausências c
Calei o verso no beco do grito e do silêncio
E fui feliz num tempo só, chamado eterno...
Um mito desenhado à procura de seu calor e lenço




Muito obrigado, cara pessoa
Que se parece com um lado que não quero esquecer
Que me dobra os dias fazendo de minha vida
Um valor que não se mede à toa




Eu grato, agradeço, tu te vais e ainda agradeço...
Não sei do fim, mas será o amor todo o recomeço
Ausências das quais me dispo, retorço e emudeço
À soma de um momento que pra você teve valor...




Mas em mim, jamais teve preço.






Czar D’alma. 



Postar um comentário