Seguidores

2016/05/30

Trema - Czar D’alma.


Trema  -  Czar D’alma. 






Trema  -  Czar D’alma. 


Eu lhe comparo a uma canção
Eu deito junto ao seu som
Canto entre meus medos vãos
E a vida respira por mim...





Eu não sei o que lhe digo de mim
Eu amo seus princípios até o fim





Não quero amar pra sempre
Sem antes ser amado
Com as vestes da razão
Rasgando meus pecados.





Eu deliro em sua mais nobre versão
Não me encanto mais com a solidão
Tú me és a veracidade, a rosa e a verdade.
Eu a coisa a esperar a sua insanidade.





Não quero isso que você não vem
Eu quero seu vestido e você dentro também.
A ilha que atravessei pra chegar a te encontrar
Num barco de intrigas, feridas e paixões.





Não quero ser um verso
Se você não for poema
Um dia acordo feliz, sendo unguento






E você o trema.







Trema  -  Czar D’alma. 



Muito Obrigado à todos e todas que voltaram, assim como
todos que jamais deixaram de estar comigo e conosco, nesse vosso espaço!
Esse poema é dedicado à você(s), pela sua fidelidade
não só à mim, mas á todos nós... Amigos, de alma!

C a r p e      d i e m !

  
Czar D'alma.


5 comentários:

Anônimo disse...

Feliz a nusa inspiradora desses versos. Lindo demais
Kerley

Czar D'alma - poeta disse...

Olá, linda dama! Obrigado pela inusitada e dócil participação! Muito Obrigado mesmo e sempre! Será que tem gente que quer esse espaço? Essa geografia docente? Ah... espero que tal receba esse e toda a obra como forma lúdica de expressar meu totem e meu singelo amor...rs Obrigado!
beijos meus e carpe diem!
Volte sempre, pois sempre és bem vinda!
carpe diem!

Neusa Farias disse...

Lindo, gostei muito, teve bastante inspiração para compô lo

Neusa Farias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Czar D'alma - poeta disse...

Olá, Neusa Farias, linda dama! Não sei o que eu "faria" sem os vossos comentários nesse nosso espaço. Me sinto feliz pela sua dócil participação, muito Obrigado e volte sempre! Beijos e carpe diem!